A Indústria 4.0, também chamada de Quarta Revolução Industrial ou Transformação Digital, é o fenômeno no qual tecnologias avançadas passaram a tomar conta da indústria como um todo. Essa Revolução envolve serviços e soluções da Internet da Coisas (IoT), inteligência artificial, Big Data, entre outros. No entanto, o que poucos sabem é que as pequenas e médias empresas (PMEs) também podem e devem fazer parte desse movimento visando  atingir ganhos de escala, facilidade no desenvolvimento de produtos, serviços e soluções, redução de custos e uma série de outras vantagens.

Muitas empresas de pequeno e médio porte já têm implantado as tecnologias, sistemas e soluções que fazem parte da Indústria 4.0, pensando em atender as demandas atuais do mercado, com um consumidor cada dia mais exigente e participativo. Ao acompanhar os avanços tecnológicos, adaptando-se às inovações, elas se mantêm competitivas e, consequentemente, bastante ativas.

A fim de transformar o modelo de negócios e melhorar a alocação de recursos e eficiência dos processos, é preciso que as pequenas e médias empresas deem o primeiro passo. Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário que todo o maquinário e funcionamento do negócio mude do dia para a noite. É possível começar aos poucos.

Por onde começar?

Esse processo de transformação digital, que integra o mundo físico ao virtual, tem como base a conexão de equipamentos, sistemas e atividades para criar redes inteligentes que otimizam o processo produtivo de bens e/ou serviços. Nesse sentido, a sugestão para um primeiro passo é compreender as necessidades do seu negócio, bem como as tecnologias existentes que podem supri-las. Identifique onde estão seus gargalos e então defina qual tecnologia deve ser aplicada!

Os empreendedores devem buscar maneiras de se beneficiar do desenvolvimento e implantação da Indústria 4.0. Os avanços precisam acompanhar o plano financeiro, bem como as prioridades da empresa, para que a lucratividade não seja comprometida. Gestores e líderes, podem participar de cursos e eventos relacionados a esse fenômeno e entrar em contato com especialistas, trocar experiências com outros negócios e conhecer o que existe de novo no seu ramo de atuação.

Três Técnicas para adaptação gradual à Indústria 4.0

Confira algumas maneiras de começar:

1 – Projeto Retrofit: em síntese, nesse modelo sua empresa adapta o antigo ao novo, reaproveitando equipamentos e maquinário. O foco é na modernização gradual, com custos mais baixos.

2 – Projeto Sprint: uma solução digital é implantada em determinada área da empresa, para um processo específico. Conforme avança, a solução pode ser aplicada a mais setores e atividades, integrando as inovações de forma gradual.

3 – Sensores e Dispositivos: a aplicação de sensores é a base do crowdsensing, que visa o monitoramento da produção através de dispositivos interligados pela Internet (tablets, sensores, celulares, câmeras, etc). Por meio deles, é possível acompanhar estatísticas de desempenho através da geração de dados. Essa técnica é conhecida como Internet Industrial das Coisas (IIoT) e ajuda a diagnosticar os problemas de forma rápida, permitindo a correção de erros.

A Indústria 4.0 propõe a modificação da realidade operacional das indústrias, mas não é preciso jogar tudo fora e começar do zero. Essa transformação pode acontecer aos poucos, através da implementação das técnicas apresentadas acima e acompanhando sua realidade financeira e operacional. Aliás, o ideal é adaptar-se gradualmente visando adquirir vantagem competitiva e crescer de forma sustentável. Portanto, analise seus recursos, estude o conceito de Quarta Revolução Industrial e conheça as tecnologias atuais que se encaixam ao seu negócio.

Principais desafios para as pequenas e médias empresas

O pequeno e médio empresário também deve estar atento a outros desafios…
Um estudo da CNI (Confederação Nacional da Indústria) aponta que o principal deles é a falta de conhecimento. Segundo essa pesquisa, 57% das pequenas/médias empresas afirmam ainda desconhecer as novas tecnologias referentes a seus mercados de atuação. Nesse sentido, é importante desmistificar conceitos e mostrar que a Indústria 4.0 não só é acessível a empresas de pequeno/médio porte, como traz consigo oportunidades para aumento de produtividade, otimização de processos e redução de custos.

Além disso, falta mão de obra especializada e programas de incentivos para o empreendedor brasileiro.

Benefícios de implementar a
Indústria 4.0

A lista de benefícios para implantação da Indústria 4.0 cresce mais a cada dia. Isso porque, através dela, a capacidade operacional das empresas – pequenas, médias e grandes – aumenta à medida que as novas tecnologias passam a ser usadas.

Confira outros pontos positivos da mudança:

  • Geração e análise de dados em alta velocidade
  • Virtualização de informações que permite rastreamento e monitoramento de todo o processo
  • Descentralização do trabalho
  • Integração de processos
  • Orientação dos serviços com softwares ligados à Internet das Coisas
  • Competitividade de mercado
  • Aumento da eficácia produtiva
  • Potencialização da inovação
  • Reaproveitamento de recursos
  • Ganho de satisfação dos clientes
  • Mais velocidade para responder às demandas do mercado e perceber a movimentação da concorrência, etc

Em outras palavras, não se adaptar é sinônimo de morte no mercado. Acompanhe o desenvolvimento tecnológico e usufrua dos benefícios da transformação digital para pequenos, médios e grandes negócios.