A gestão empresarial é uma das grandes responsáveis pela eficiência, produtividade e crescimento de um negócio. Através dela, desenvolvem-se estratégias e ações de aplicação estrutural, financeira e humana para que seja possível mensurar objetivos e gerenciar pontos falhos, bem como evitar e corrigir erros. Tudo isso, na busca por melhores resultados e processos mais eficazes.

Empresas de grande porte possuem processos complexos de funcionamento, pois há uma enorme diversidade de setores e atividades que precisam atuar em concordância. Analogamente esses setores da empresa são como engrenagens, onde um depende do outro para operar e otimizar o desempenho dos processos.

Exemplo: Engrenagens (Gestão Empresarial)Gerir bem essas “engrenagens” requer do gestor o desenvolvimento de importantes habilidades, tais como: 

  • Agilidade para lidar com processos rápidos
  • Manter-se atualizado em relação aos avanços do setor em que a empresa está inserida
  • Estar atento a implementação de novas tecnologias
  • Além de competência para liderar e ouvir, bem como integridade e coerência entre o que é acordado e o que é implementado na prática

Gestão empresarial em termos práticos

Uma boa prática gerencial é fundamental para a obtenção de bons resultados, não é a toa que as falhas nessa etapa costumam aparecer no topo do ranking do Sebrae que apontam os motivos que mais levam empreendedores a fecharem suas portas.

Dentre as principais atividades da Gestão Empresarial, destacam-se:

  • Definição de metas
  • Organização de processos
  • Planejamento estratégico
  • Análises de custos, compras, vendas
  • Pagamentos e recebimentos
  • Contratações e demissões

Por outro lado desconhecimento de mercado, falta de esforços no setor de produtividade, falhas no controle financeiro e processos ineficientes de cobrança são algumas das falhas de gestão que resultam em grandes prejuízos. Aplicar a gestão empresarial depende basicamente de planejamento, qualificação profissional, tecnologia e indicadores de desempenho.

Por isso, estabeleça metas – de curto e longo prazo – e procure manter-se fiel a elas, revisando processos e ajustando as atividades para minimizar danos e alcançar os resultados pré definidos. A medida que os objetivos se concretizarem, avalie, através de indicadores de desempenho, o rumo que a empresa está seguindo e corrija o que for necessário. Além disso, aproprie-se de tecnologias que possam se aliar a realização e otimização de tarefas.

Benefícios da gestão empresarial

A partir de uma boa gestão empresarial, são esperados vários resultados positivos, tais como:

  • Tomada de decisões mais assertiva
  • Redução de custos
  • Aumento da lucratividade
  • Visão integral e sistêmica do negócio
  • Conhecimento ampliado de mercado
  • Melhor uso do capital disponível
  • Qualificação dos controles internos
  • Definição e realização de metas de curto e longo prazo
  • Otimização de tempo
  • Organização
  • Maior integração entre os departamentos
  • Processos mais seguros e menos suscetíveis a erros
  • Colaboradores mais motivados e engajados, gerando um ciclo produtivo mais eficiente

Tipos de gestão empresarial

Há diferentes modelos de gestão para serem avaliados e aplicados, conforme o porte e realidade de cada empresa. Abaixo, temos alguns deles:

1. Cadeia de Valor: nela, o objetivo é elevar a rentabilidade, reduzir custos e tornar o negócio mais competitivo no mercado. Cria-se valor e vantagem competitiva frente à concorrência.

2. Ciclo de Inovação: criado por Joseph Schumpeter, o conceito se baseia nos pilares da criação, implantação e capitalização dos projetos para garantir a competitividade da empresa no mercado.

3. Ciclo de Deming ou PDCA: aqui, toda e qualquer ação deve ser cíclica, passando pelas fases de planejamento, desenvolvimento, checagem e ação. A ideia é que o foco seja na melhoria contínua, agilizando ações e tornando a gestão mais eficiente.

4. Foco nos Processos: a execução de atividades e processos são o ponto principal desse tipo de gestão, assim como a busca contínua por melhorias e evoluções. Para isso, é necessário que haja atenção aos detalhes.

5. Foco nos Resultados: aqui, o resultado é o que importa e todas as ações são pensadas para atingi-lo.

Ferramentas e técnicas

Atualmente, os gestores têm a seu dispor diferentes “Sistemas de Gestão Empresarial”, que levam em conta o porte e a atividade de cada empresa. São softwares que conectam diferentes setores, compartilham informações, otimizam atividades e oferecem análises detalhadas. Um exemplo é o ERP (Enterprise Resource Planning), Sistema Integrado de Gestão Empresarial.

Além disso, a gestão empresarial pode contar com técnicas como a Análise SWOT, que avalia a competitividade da empresa perante a concorrência de acordo com suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

O Business Model Canvas é outra ferramenta interessante, pois oferece uma análise visual da empresa – identifica fontes de receitas, público-alvo, departamentos e outras informações para que o negócio seja completamente visualizado em uma única página.

Para definição de metas e ações, o conceito 5W2H é muito utilizado, pois estabelece uma sequência de ações para realização de uma atividade ou projeto. O nome do conceito se refere às iniciais, em inglês, das perguntas-chave que guiam o processo: What (o quê), Why (por quê), Where (onde), When (quando), Who (quem), How (como) e How much (quanto).

A Matriz GUT ou Matriz das Prioridades oferece a possibilidade de priorização de tarefas, determinando as demandas mais urgentes. Utiliza-se uma tabela de cinco colunas que classificam as atividades conforme: Ação, Gravidade, Urgência, Tendência e GUT (que é a nota final que define a maior prioridade).

Há, ainda, o modelo de análise competitiva denominado “5 Forças de Porter”, que verifica a concorrência através de cinco pontos-chave. São eles:

  • Rivalidade com concorrentes
  • Entrada de novos concorrentes
  • Ingresso de novos produtos
  • Poder de negociação de fornecedores
  • Poder de negociação de clientes

Além dessas citadas acima, existem várias outras ferramentas e técnicas a disposição das empresas com intuito de auxiliar, facilitar e otimizar seus processos.

Conclusão

Manter uma gestão empresarial de qualidade é um dos grandes diferenciais dos negócios que buscam por maior competitividade, eficiência e geração de receitas crescentes. É preciso dedicar tempo e recursos para elaboração dessa etapa, lembrando que a ela estão atrelados os resultados que se deseja alcançar.

Assine nossa newsletter e receba outros conteúdos como este.