Placa de EVA Verde é desenvolvida em parceria com a Braskem e a Cofrag

EVA Verde

Fechando o ano de 2018, o setor plástico nos traz uma notícia inovadora. Foi desenvolvida a primeira placa sustentável de EVA (etileno acetato de vinila) – o EVA verde. Um trabalho de parceria entre a Cofrag, cliente Mais Polímeros, e a Braskem. O plástico verde surgiu da necessidade de se começar a reduzir a quantidade de plásticos não recicláveis e vem ganhando cada vez mais força através de parcerias como essa.  Além de ser de origem renovável, o plástico verde é 100% reciclável, ou seja, não entra para as estatísticas do aquecimento global.

Após alguns anos dedicados à pesquisa e desenvolvimento, a planta de eteno verde da Braskem, inaugurada em setembro de 2010, marcou o início da produção do polietileno verde em escala industrial e comercial, conferindo à empresa a liderança mundial no mercado de biopolímeros. Um trabalho  que combina inovação, tecnologia e sustentabilidade.

Leia mais algumas notícias do Setor Plástico:

Pesquisadores imprimem corações de plástico em 3D para planejar cirurgias

Pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) começaram a produzir modelos plásticos dos corações de pacientes que precisam enfrentar cirurgias cardíacas delicadas. Semelhantes ao órgão verdadeiro, esses moldes ajudam os médicos a planejarem em detalhes operações complicadas.

O trabalho pode ser aplicado em vários órgãos do corpo, além do coração. Realizada a reconstrução digital em 3D, é possível dar aos médicos uma visão mais real do problema de saúde e definir o local exato da cirurgia. Leia mais aqui.

Plástico e doação de sangue

A maior parte do material usado na coleta/doação de sangue é fabricado a base de plástico. Excluindo agulha, álcool e algodão, o demais itens são compostos por diversos tipos de plástico: par de luvas para procedimento, seringa, garrote e tubos de ensaio em poliestireno para a coleta de acordo com o pedido do exame. Os outros equipamentos e acessórios para a realização dos testes em laboratório também são de feitos de plástico, como: balde graduado, barrileta em PVC, caixa plástica porta-tubos, copo de Bequer em polipropileno, sacos estéreis para a coleta de amostras líquidas, pipetas plásticas descartáveis, entre muitos outros instrumentos. Todo o material utilizado para colher e testar sangue é esterilizado e descartável. Leia mais aqui.

Leveza e praticidade ajudam plásticos a crescer nas tintas

A grande evolução da indústria do plástico nas últimas décadas se deve em grande parte à versatilidade das matérias-primas. As grandes indústrias químicas investem pesado na pesquisa e desenvolvimento de novas formulações de polímeros, tornando-os capazes de substituir outros materiais em produtos dos mais distintos. Um exemplo disso, é a crescente utilização no mercado nacional de embalagens de polipropileno na substituição do aço nas embalagens para tintas…

Vale ressaltar: o plástico só pode ser utilizado com tintas à base de água, nas linhas com solventes o aço ainda é a única alternativa. Leia mais aqui.

Para receber mais notícias e outros conteúdos inscreva-se em nossa newsletter.