O ROI, Retorno sobre Investimento (“return on investment” em inglês), também conhecido como Taxa de Retorno ou Taxa de Lucro. É uma métrica utilizada para medir os rendimentos obtidos a partir de uma determinada quantia de recursos investidos.

Por meio desse indicador, é possível que a empresa saiba se está ganhando ou perdendo com o investimento realizado, além de conseguir contabilizar esse número de ganho ou perda. Assim, as estratégias podem ser redesenhadas, eliminando erros e potencializando resultados.

Aqui falaremos, de maneira resumida, sobre como calcular o ROI de produtos, acreditando que isso auxiliará na melhor administração do investimento e otimização dos seus lucros!

Porque o cálculo do ROI é importante?

O cálculo do ROI auxilia as empresas a definirem se um determinado investimento é vantajoso ou não, ao administrar futuros negócios. Funciona tanto para verificar quais investimentos valem a pena, como também para otimizar aqueles que já estão funcionando.

Os resultados obtidos pelo ROI servem para avaliar, por exemplo, como investimentos em marketing contribuem para os resultados da empresa.  Também para identificar o prazo do retorno financeiro dessas iniciativas. Dessa forma, a métrica facilita o planejamento e, consequentemente, as escolhas de uma empresa.

Quando relacionado ao mundo do empreendedorismo, trata-se de um dos indicativos econômicos mais importantes para qualquer negócio. Isso porque representa a relação entre o retorno e o capital investido em um projeto.

Como calcular o retorno sobre investimento?

Para calcular o ROI, aplica-se uma fórmula matemática simples, que considera o valor investido na ação (ou seja, o seu custo) e a receita com ela obtida (o retorno financeiro). Tendo esses dois fatores, é possível utilizar o ROI para medir o resultado de qualquer estratégia.

Cálculo do ROI

Identificados os números de ganhos e despesas de uma campanha publicitária, por exemplo, subtrai-se o investimento/custo da receita. Em seguida, divide-se pelo investimento/custo e multiplica-se o resultado por 100. Desse cálculo, resultará um percentual. Esse será o seu ROI. O valor de ganho obtido não representa, necessariamente, o valor das vendas, mas sim a margem de lucro.

Exemplo: se a receita foi de 500.000 reais e o investimento/custo foi de 100.000, teremos:

(500.000 – 100.000) / 100.000 = 4

4*100 = 400%

Isso significa que o retorno foi de quatro vezes o investimento inicial. Uma observação importante, é que o valor do investimento inicial deve incluir o dinheiro gasto em todo o processo e o tempo despendido. Assim, toda e qualquer despesa, por menor que seja, tem que ser incluída se o objetivo é ter um resultado preciso.

É importante ressaltar que o ROI não é um indicador estável, já que está sujeito a variações do fluxo de compras do seu negócio. Dependendo da época em que seu produto for comercializado, pode haver variações nas quantidades vendidas.

Além disso, o valor do ROI não está estipulado como positivo ou negativo. A empresa que faz o cálculo é quem determina qual valor quer alcançar e as margens dos seus resultados. Um resultado do tipo 100% de retorno pode ser considerado satisfatório em determinado caso e insatisfatório em outro.

Erros comuns 

É preciso estar atento para não cometer erros ao se fazer o cálculo do ROI. Pode acontecer, por exemplo, de haver falta de metas a cumprir e/ou imprecisões na hora de levar em consideração os investimentos a longo prazo. Dependendo das metas da empresa, o resultado pode ser considerado um sucesso ou não, a depender do objetivo traçado inicialmente.

Por isso, é necessário que os investimentos estejam alinhados às metas do empreendimento. Deste modo, o empresário sabe o que deve esperar como retorno e o cálculo do ROI se torna mais objetivo.

Outra possibilidade de erro comum na hora de se calcular o ROI, está ligada a projeção de retornos irreais. Isso pode ocorrer quando a empresa não sabe dimensionar o mercado no qual está inserida e esquece de levar em conta aspectos importantes do seu negócio – por exemplo, avaliar o comportamento das empresas concorrentes. Ignorar que existem empresas concorrentes, que também estão investindo, seria um erro grave que precisaria ser evitado.

Também é preciso ter em mente que determinados investimentos demoram a trazer retorno, são os chamados investimentos a longo prazo, e têm como prioridade fortalecer a companhia para o cenário futuro. Um investimento de grande porte demanda uma grande quantia de matéria-prima, por exemplo, e é preciso estar ciente de que não será pago em um curto período de tempo. Assim, a melhor forma de analisá-lo seria questionar seu tempo de vida útil e o quanto será produzido nesse período.

Por último, lembramos que o calculo do ROI pede dados e informações confiáveis. Por isso, contar com uma plataforma que otimize e auxilie na captação e atualização de dados torna-se imprescindível. Isso facilitará o planejamento estratégico e logístico da empresa.

O cálculo do ROI na rotina da empresa

O cálculo do ROI deve fazer parte da rotina da empresa. Essa estratégia é importante para validar investimentos e auxiliar no monitoramento de processos. Desta forma, ajuda a aperfeiçoá-los, gerando economia à empresa e melhorando a qualidade do trabalho.

Pensando nisso, o ROI não é indicado apenas para o início de projetos, mas precisa fazer parte de toda a vida útil da empresa. Ao medi-lo com frequência, sua empresa pode ajustar e modificar estratégias para períodos específicos, lembrando que esse cálculo está sujeito a outros fatores como, por exemplo, sazonalidade e inflação. Isso evita que os erros de um investimento não tão acertado se transformem em uma bola de neve, gerando prejuízos irreparáveis.

Por fim, é preciso lembrar que o ROI é apenas o complemento de uma análise constante que deve ser feita para cada empreendimento iniciado e pode variar de acordo com fatores externos. Estabelecer critérios de análise, em harmonia com as metas da empresa, tornará essa estratégia muito eficaz.

Para receber mais notícias e outros conteúdos inscreva-se em nossa newsletter.