Pra que você esteja por dentro não só do que se refere ao setor plástico, mas também a tecnologia e gestão, selecionamos três notícias bacanas para o post de hoje. Vem conferir!

Grafeno: a descoberta que vai revolucionar a produção de novos materiais

Durante o 3º Congresso Brasileiro do Plástico, no último dia 16 de outubro, um dos assuntos mais aguardados foi o tema “Grafeno e sua importância na Indústria de Plásticos do Futuro”. O grafeno, por ser um material de baixa densidade, transparente, mais forte e flexível, é o melhor condutor de eletricidade que se conhece, possui a maior condutividade térmica. E vejam, o Brasil possui a segunda maior reserva de grafite do planeta.

Especialista em megatendências das embalagens plásticas, o norte-americano Ronald D. Sasine destacou as principais tendências para estas embalagens no mundo e alertou para um dado curioso: embalagens plásticas serão um dos materiais mais exportados nos Estados Unidos. “Com o crescimento das vendas de alimentos, cuidados pessoais, cuidados com bebês e produtos para mascotes, que nos próximos anos vão crescer na área do e-commerce, vai aumentar ainda mais as vendas de embalagens plásticas“. Leia mais aqui.

Pesquisadores criam olho biônico com polímero semicondutor

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Minnesota (EUA) criou um olho biônico usando impressão em 3D. A impressora usada para a criação do olho biônico também foi montada pelos pesquisadores, que alteraram o design de uma impressora 3D convencional para que polímeros semicondutores fossem adicionados à tinta de partículas de prata que se depositam, camada por camada, no molde esférico. Os polímeros servem para converter luz em eletricidade.

Segundo Michael McAlpine, professor de engenharia mecânica da Universidade de Minnesota, o olho ainda é um protótipo. A próxima etapa da pesquisa é a busca por materiais mais macios para produzir olhos biônicos que possam ser testados em pessoas, funcionando como lentes de contato ultra potentes. Leia mais aqui.

Isopor pode ser transformado em material de construção

Também conhecido como poliestireno, o Isopor é famoso por revolucionar o mercado das embalagens pois trata-se de um material leve, além de excelente isolante térmico e acústico. Como qualquer plástico, ele pode ser reciclado e ganhar novas funções após seu uso.

A empresa catarinense Santa Luzia revolucionou sua produção, ao desenvolver um processo que culminou na substituição de cerca de 98% da matéria prima. Transformam resíduos deste e de outros plásticos, em materiais de construção, como rodapés, guarnições, molduras, revestimentos. Leia mais aqui.

Quer receber notícias e conteúdos exclusivos? Inscreva-se em nossa newsletter: