Gerenciar um negócio não é tarefa fácil, não é mesmo? Há diversos fatores que devem ser levados em conta para manter sua empresa ativa e lucrativa no mercado. O controle de estoque, certamente, está entre os principais. Controlar bem os estoques influencia, por exemplo, no bom aproveitamento do capital de giro e na maior segurança de resultados positivos.

A matéria-prima estocada deve ser controlada para que não haja falta de materiais, desvios ou capital parado, afinal estoque de mais ou de menos acarreta em prejuízos de vendas e produtividade. Neste post, falaremos mais sobre a quantidade ideal de matéria-prima a ser adquirida e como evitar prejuízos. Confira!

Precisa de resinas termoplásticas?

Preencha o formulário abaixo e aguarde o contato de nossa equipe.

Passos essenciais do controle de estoque

Para que se possa calcular a quantidade de matéria-prima a ser adquirida, é fundamental realizar o controle de estoque. Para isso, entendemos que é preciso seguir alguns passos essenciais:

  • Faça o cadastro de todos os materiais: antes de iniciar as compras, é necessário fazer um levantamento e cadastramento de todos os materiais existentes (aquilo que já está no estoque) e de todo material a ser utilizado. É importante que esse cadastramento seja feito de acordo com uma classificação pré-estabelecida.
  • Controle as entrada e saídas: o monitoramento da quantidade de matéria-prima que entra e sai do estoque deve ser constantemente realizado. Acompanhe e anote toda a movimentação. Não permita que pessoas ou departamentos retirem materiais sem antes fazer as devida anotação.
  • Defina um fluxo de entrada e saída: definir um padrão para o fluxo da matéria-prima é essencial para que se possa seguir um processo lógico. Os gestores devem considerar que o fluxo do estoque começa quando a matéria-prima chega à empresa e só termina quando esses materiais são direcionados para a produção. Essas transações devem ser registradas no sistema de controle para que seja possível gerenciar todos os suprimentos da empresa.
  • Toda a movimentação deve acontecer de acordo com as Normas de Entradas e Saídas de Estoque.

Quando há investimentos na gestão de estoque, fica muito mais fácil planejar o trabalho do dia a dia. Além de ser possível avaliar se o consumo de matéria-prima está de acordo com os planos traçados pelos gestores da empresa.

Cálculo para a quantidade de matéria-prima

Para calcular a quantidade de matéria-prima a ser adquirida, começamos entendendo o comportamento das vendas. Com os dados das vendas dos últimos meses e com o auxílio do controle de estoque, é possível fazer uma previsão da quantidade de produtos que serão fabricados. Também leva-se em conta o histórico de consumo passado. Depois disso, averiguamos cada componente necessário para atender essa produção e, então, definimos a quantidade de material a ser adquirido.

Confira o seguinte cálculo para a quantidade necessária de cada tipo de matéria-prima:

Quantidade necessária para cada tipo de matéria-prima

Além dos padrões técnicos de consumo e estatísticas históricas, também é importante considerar as perdas que, eventualmente, possam acontecer.

É claro que cada indústria possui suas particularidades e, portanto, seria genérico demais dizer que esse é o cálculo ideal para todas. Cálculos mais avançados devem ser utilizados quando há histórico de grandes desperdícios ou cálculo errado de produção, gerando acúmulo de estoque. No entanto, o descritivo acima é uma base para que sua empresa possa ser mais assertiva ao mensurar a compra de materiais.

Orçamento para compra da matéria-prima

Outro ponto importante a ser considerado é a elaboração de um orçamento com base em previsões – e isso não deve estar restrito a análise de dados históricos. Este orçamento deve especificar a quantidade de material, tipo, período a ser utilizado, preços e áreas que serão atendidas com ele.

Além disso, cada setor de fabricação deve ser capaz de informar sua previsão de produção. Isso facilita o planejamento para a quantidade ideal de produtos a serem adquiridos, afinal quanto maior a produção em dado setor, mais produtos precisarão ser adquiridos.

O orçamento também pode indicar padrões de consumo ou relações entre a quantidade de cada matéria-prima e o volume físico de produção. Assim, esses produtos poderão ser adquiridos no momento certo e em quantidades suficientes para manter os estoques mínimos planejados.

Alguns fatores para levar em conta na elaboração do orçamento da matéria-prima:

  • Determinar as quantidades exigidas para o atendimento da fabricação e o fornecimento das informações à área de compras;
  • Estabelecer as políticas de estocagem de cada matéria-prima;
  • Elaborar um programa de suprimentos, além de informações sobre qualidade e desperdício;
  • Determinar o custo estimado das matérias-primas necessárias para a fabricação, incluindo um plano de investimento e informações à área financeira.

A partir disso, esperamos que sua empresa decole na elaboração de um controle de estoque/orçamento de qualidade, para que suas compras de matéria-prima estejam o mais perto possível do ideal desejado por sua empresa. Para saber mais sobre como planejar seus pedidos de matéria-prima, acesse!

Quando há investimento na gestão de estoque, fica extremamente mais fácil otimizar o trabalho do dia a dia. Além de ser possível avaliar se o consumo está de acordo com as necessidades da empresa.

Quer receber mais notícias e conteúdos exclusivos? Inscreva-se em nossa newsletter: